domingo, 21 de setembro de 2008

    De tarde quero caminhar. Vou chegar até a porta e ver, se o vento ainda está forte vai ser bom sair do meio dos prédios. Sei que faço isso pra esquecer, eu deixo a rua me levar e andando sem pensar a agonia vai sendo levada pra longe.
    Agora estou tão longe, ver a cidade me distrai. Das paisagens do meu interior é que tenho mais saudade. Não tenho a linha do horizonte pra me distrair, não tinha alguém com quem fazer planos, mas não sentia tanta saudade. Aonde estão as coisas que me faziam feliz, além de aqui, dentro de mim, escondido em algum canto do meu ser?
    “Agimos certo sem querer, foi só o tempo que errou”, está sendo difícil viver sem ter um norte, com tamanha inquietude interior, mesmo tendo pessoas comigo o tempo todo. Quando vejo o sol, existe algo que diz “que a vida continua e se entregar é uma bobagem”. A maior revolta talvez seja essa mania da vida continuar. Não, eu não quero que ela continue, eu quero que ela volte na linha do tempo da minha vida, que ela retroceda ao tempo em que eu não tinha obrigações, onde eu tinha pra quem correr e me esconder do mundo.
“Já que você não está aqui
O que posso fazer
É cuidar de mim
Quero ser feliz ao menos,
Lembra que o plano
Era ficarmos bem...
Sei que faço isso
Pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora...”

Me sinto tão só que não sou capaz especificar um "você" pra encaixar na letra... Por muitas vezes cantei essa música pensando em minha avó como o "você", hoje meu você é qualquer pessoa ou coisa que me tire desse mar de insegurança. Me sinto como uma criança amedrontada querendo se esconder do mundo lá fora...

Mais uma vez, letras de Renato Russo me inspiram...

Amo Legião, mas de certa forma, me sinto desconfortável quando acordo com musicas deles na cabeça, como hoje por exemplo. Me sinto desconfortável quando começo a ouvir muito as músicas deles. Geralmente esse fator significa o retorno à uma velha fase no ciclo vicioso de minha existêcia... diga-se de passagem, uma fase que não me faz muito bem...

3 comentários:

Diego disse...

ta nas suas mãos mudar tudo isso...

Nachali disse...

uma poesia em proza!
Só não gosto de perceber que a tua inspiração é a insegurança.
Ao mesmo tempo que é bom vc tranformar algo desconfortável em um belo texto. è desconfortável pra mim, perceber-te insegura!

T@u! disse...

É Diego, eu sei que a mudança só depende de mim, mas tem dia que as forças somem...
Ná, não esquente comigo, o blog foi uma forma que encontrei de desviar minha atenção, descarregar em textos faz com que eu me sinta melhor. Não esquente, eu sempre melhoro! não se preocupe...
bjos amigos